Wellington Sérgio busca junto à Caema solução para problema no abastecimento de água do Residencial Coqueiros

Não é de hoje que parte dos moradores do Residencial Coqueiros, bairro criado recentemente através de projeto social, vem reclamando de falta de água nas torneiras. O problema é que o sistema de abastecimento de água não tem conseguido suprir a demanda do bairro, criando transtornos aos moradores. Em busca de solução para o problema, o presidente da comunidade, Wellington Sérgio, buscou junto a Caema esclarecimentos e providências sobre o caso.

Na manhã desta sexta-feira (29), Wellington acompanhado do gerente da regional da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) que tem sede em Pinheiro, José Nilson Coelho Oliveira, realizou a vistoria do poço e rede de distribuição da água, bem como da rede de escoamento do esgoto. Durante a vistoria foram detectadas várias irregularidades nos poços e na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do local.

Sendo a construção do sistema de abastecimento e distribuição da água e do escoamento do esgoto de responsabilidade da construtora Lua Nova, empresa que realizou a construção do residencial bem como sua estrutura geral, ficou acertado após a vistoria uma reunião com a empresa Lua Nova, a Caema e o presidente da comunidade do Residencial Coqueiros para traçar o cronograma de ação para realização dos reparos necessário à solução dos problemas. A reunião será na próxima terça-feira.

“Moro aqui e fui escolhido pela comunidade para representá-los na busca de melhorias para o nosso bairro, que apesar de novo já tem apresentado problemas pontuais que precisam ser solucionados, continuarei acompanhando a questão, até que sejam tomadas as providências necessárias à solução”, afirmou Wellington Sérgio, presidente da comunidade do Residencial Coqueiros.

De acordo com o gerente regional José Nilson, essas visitas têm o objetivo de aproximar cada vez mais a Caema da comunidade. “Sabendo dos anseios dos moradores, com base nas dificuldades encontradas em campo. Ao recebermos a solicitação do representante da comunidade de pronto atendemos o chamado e foi possível checar a dimensão do problema e avaliar as possibilidades de resolvê-lo”, disse José Nilson, gerente regional da Caema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *