Tarado do Parque: maníaco que dopou e estuprou 13 homens é condenado a 25 anos

Os 13 estupros cometidos contra homens pelo cozinheiro João Batista Alves Bispo, 41 anos, ao longo dos últimos 10 anos, resultaram em uma condenação de 25 anos de prisão. A sentença proferida após julgamento ocorrido na 1ª Vara Criminal de Brasília determinou que o “Tarado do Parque”, como ficou conhecido o criminoso, cumpra a pena em regime fechado.

Bispo foi detido, preventivamente, em 7 de outubro de 2020, por policiais da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). O cozinheiro, que na época trabalhava em uma galeteria da Asa Sul,  dopava homens e, após o golpe conhecido como “Boa noite, Cinderela”, abusava sexualmente deles. O maníaco já está preso no Complexo Penitenciário da Papuda desde o cumprimento da preventiva.

Segundo o delegado-chefe da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), Marcelo Portela, que conduziu o inquérito, o acusado tinha um modo semelhante de agir em todas as ocasiões. “Ele ia para locais onde havia grande aglomeração de pessoas – que geralmente estavam buscando algum programa – e começava a conversar com as vítimas. Então, passava a ingerir bebidas alcoólicas na companhia dessas pessoas e conquistava a confiança delas”, detalhou.

Em seguida, ele dopava os homens colocando a medicação em suas bebidas. “Eram doses cavalares, tão altas que uma das vítimas veio a óbito. E havia sempre uma conotação sexual envolvida. Ele as convidava para um pretenso programa, aplicava a medicação e praticava os delitos”, reforçou.

As abordagens, geralmente, ocorriam à noite. De acordo com Portela, as investigações começaram após o crime que levou à morte uma das vítimas, no início de 2020. O homem, encontrado sem vida no dia 20 de janeiro, no Parque da Cidade, era morador da Asa Norte e tinha 30 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *